Sobre o Estúdio

 
Para Todas as Mulheres!

Estúdio Mariana Beltrame

Eu vejo beleza em você. E acredito que a fotografia é para todas as mulheres. Sem excessão! Não é apenas sobre sua beleza externa, mas sobre buscar o que te torna única. É sobre confiança, autoestima e autoconhecimento. Deixar os medos de lado e viver toda sua potência.

Aqui no estúdio, dedicamos nosso trabalho a beleza. Aquela beleza que vem de dentro e te transforma por fora. Não há nada mais poderoso do que se sentir bonita da forma que você é de verdade.

Minha paixão é retratar mulheres e contar suas histórias de vida. Eu nunca vi uma mulher igual a outra. A cada novo ensaio me surpreendo com o quanto somos completas e irreplicáveis. É por isso que sua história importa. Seus sentimentos, desejos e personalidade, importam! Importam pra mim, porque quero desenvolver uma imagem que te dê orgulho de ser quem você é. Uma fotografia que te acompanhe pro resto da vida, te lembrando todos os dias do quando você é única nesse mundo.

Em 2018, completei 10 anos de fotografia feminina e retratos. Dediquei minha vida a criar técnicas que façam você se ver uma forma diferente e mais carinhosa. Que te dêem confiança e transformação. Que te ajudem a reescrever sua própria história, com suas próprias mãos, sem os olhares e julgamentos alheios.

ensaio sensual
ensaio casual sensual
ensaio casual sensual
 

Prazer, Mariana

Desde pequenininha eu já sabia que queria ser artista. Escrevia, rabiscava e pintava tudo que via pela frente. O que eu não sabia ainda, era que poderia usar meus dons para ajudar mulheres. Aos 15 anos comecei a escrever. Aos 16 anos encontrei a fotografia, e esbarrei no autorretrato. Me auto fotografar me deu uma ferramenta de autoconhecimento tão grande que me perguntei se poderia fazer o mesmo pelos outros.

Fotografar a mim mesma, me deu a possibilidade de entender o que uma mulher sente quando está na frente da câmera. E fotografar mulheres me ensinou muito sobre empatia, autoestima e confiança. Mas não sou um exemplo a ser seguido. Eu sou como você! Tem dias que tô bem e tem dias que não aguento olhar no espelho. Mas trabalhar com mulheres me fez enxergar o que nos trás medo e insegurança. Me deu clareza sobre onde mirar, para tornar nossas vidas do tamanho daquilo que sonhamos. 

Comecei a fotografar “de verdade” em 2008, direcionamento meu foco a ensaios femininos e retratos já em 2009. Desde então passaram por meu estúdio mais de 600 mulheres. Encontrei na fotografia feminina a possibilidade de desenvolver um olhar mais sensitivo e artístico sobre as mulheres. Eu busco o sonho, a emoção, a unicidade de uma imagem. E quero que você se sinta maravilhosa em todos os sentidos. É por isso que eu fotografo. É por isso que vivo

Minha formação vem das artes. Sou bacharel em Cinema e Audiovisual (UNA), com uma extensão em Fotografia (AUB – Inglaterra) e pós-graduada em Artes Plásticas e Contemporaneidade (UEMG). Indo além das formalidades, estudar é uma das minhas paixões. Não vivo sem aprender uma coisa nova todos os dias, seja como fotógrafa, empreendedora ou humana. Curiosidade é meu segundo nome.

 
Um pouquinho do que rola por aqui

Estúdio de Fotografia

 

Workshops, Palestras e Exposições

 
 

Sobre Mariana Beltrame, pela escritora Isis Fiorito

“Para quem vê de fora, há certa aura mágica naqueles que abraçam a profissão, mas saibam que há mais coisa entre o ajuste de iluminação e o click da máquina do que sonha nossa vã filosofia. Mariana não tem deslumbres. Descartou o prisma ilusório logo no começo, não queria fairy tale. Ela quer a fotografia como ela é: o trabalho árduo, o estudo paciente, o desafio diário. Mirar no limite e rompê-lo, esticar e remodelar, criar o novo. O conhecimento é uma pedra bruta que ela limpa e faceta da maneira que mais lhe agradar. Ao aperfeiçoar a fotografia, aperfeiçoa a si mesma.

Equipamento não faz milagre, e disso ela sabe bem. É extensão de seu corpo, reflexo de sua mente. Dá o corpo pela causa até a exaustão. É o bruto que executa, serviçal da mente. E que a parceria seja eterna enquanto durar, pois novos horizontes exibem novos mares, e novos mares exigem novas caravelas. Ela nunca soube bem o motivo de ter se tornado uma fotógrafa, não teve uma epifania, só o entendimento de que fazia parte dela. Como a certeza inexplicável de que devemos seguir o leito do rio por uma floresta densa para mantermo-nos vivos. Instinto? Quem sabe. Talvez tenha sido a possibilidade de ser uma contadora de histórias, criando contos visuais que alcançam além das palavras. Ou talvez tenha sido a oportunidade de observar e analisar, numa ciência estética que evolui a cada click. Não importa. O que importa é que Mariana fotografa, lindamente, num sistema mutualístico entre criador e criatura – papéis que não podem ser rotulados especificamente nem pra fotografia nem pra fotógrafa. Sua profissão é seu coração, mente e pulmões. Parte funcional de seu corpo e sua identidade.”

 
 

INSTAGRAM